20 de julho de 2009

A casa...

Não deixes que desconstruam este lar que criámos de modo tão puro.
Ou será que apenas me ajudaste a criá-lo e nunca fizeste realmente parte dele?
Mas então, porque constróis uma casa em que não tencionas entrar?
Ela aqui está... Mas sinto-me sozinha nela... Sozinha como nunca...

Estás comigo? Não! Estás lá fora, recusas-te a entrar...
Desmistificaste-me, aos meus sentimentos, aos meus sonhos...
Pintaste as paredes de azul celeste, decoraste-as com sóis etéreos, fizeste para mim um mundo de sonho e depois saíste....

Afinal de contas estava sozinha... estou sozinha... como sempre...

Imagens de The Lake House, de Alejandro Agresti, 2006

7 comentários:

  1. Qual é o espaço temporal deste post?

    ResponderEliminar
  2. Espaço temporal? :)
    Boa pergunta, querido Swa!
    As palavras ganharam forma agora, mas quando nasceram, não o sei dizer ao certo...
    Será isso assim tão importante?...
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Hello ;) Ao ver estas imagens reconheci logo... Um dos meus filmes favoritos e se não estou em engano até o vimos juntas :)
    Como sempre um BOM texto!

    Beso Raque

    ResponderEliminar
  4. Este mar de fresco azul
    Estas pedras sentinelas constantes
    Estas ondas que adormecem nelas
    Vieram do mundo em formas navegantes

    O amargo das uvas verdes
    Cede ao sorriso do astro rei
    O doce invade os sentidos
    E a ternura impõe a sua lei


    Boa semana


    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  5. Sim, Raque, são imagens da Casa da Lagoa! Filme fantástico, não?!
    Beijinho*

    Importante, querido Swa?! Então?! ;)
    *

    ResponderEliminar